Dados do Acervo - Dissertações

Número de Chamada   
 
CETD    UFSC    PPSI    0144   
Autor Principal Machado, Gilvana da Silva
Demais autores Guerra, Rogerio Ferreira, orientador
Autor(es) Entidade(s) Universidade Federal de Santa Catarina . Programa de Pós-Graduação em Psicologia .
Título Principal Efeitos da presença do pai e de um macho estranho sobre a responsabilidade parental [dissertação] / Gilvana da Silva machado ; orientador, Rogério Ferreira Guerra. -
Publicação Florianópolis, 2004.
Descrição Física 74 f. : il., grafs., tabs. ; 30 cm
Notas Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas. Programa de Pós-graduação em Psicologia.
Inclui bibliografia
Acesso Eletrônico http://www.tede.ufsc.br/teses/PPSI0144.pdf
Notas de Resumo De acordo com a literatura, monogamia e cuidados biparentais emergiram como uma estratégia evolucionária para minimização dos custos reprodutivos. A proposta deste estudo foi investigar os efeitos da presença de um macho estranho conspecífico sobre o comportamento dos pais (em sistema biparental e uniparental) e variação de peso corporal de mães e sobrevivência de filhotes de gerbilos da Mongólia (Meriones unguiculatus). Os animais foram abrigados em caixas de polipropileno, com cobertura transparente. Dois grupos foram formados: Grupo biparental: 11 casais e seus filhotes; Grupo uniparental: 10 fêmeas com seus filhotes. Uma tela metálica de arame dividia o ambiente possibilitando contato visual, olfativo e auditivo entre o macho estranho e casal com filhotes ou fêmea com filhotes. O comportamento dos animais foi filmado (Panasonic Color ViewFinder) no 1º, 7º, 14º e 21º dia postpartum em duas fases subseqüentes: Fase I # ausência de macho estranho; Fase II # presença de macho estranho (30 min. de filmagem em cada fase). Os animais foram pesados a cada três dias a partir do nascimento dos filhotes até 21º dia postnatal. Resultados. Comparação intergrupal (teste t para amostras independentes): Na Fase I, fêmeas do grupo uniparental exibiram significantemente mais episódios de cheirar/limpar filhotes (p < 0,05). Na Fase II, fêmeas do grupo uniparental apresentaram mais episódios de contato físico com filhotes (p < 0,01); Exibiram atividade locomotora (p < 0,01), auto-limpeza (p < 0,01) e cheirar/limpar os filhotes (p < 0,05) mais tempo e mais freqüentemente que fêmeas do grupo biparental (p < 0,01; p < 0,01; p < 0,05; respectivamente). Comparação intragrupal (teste t para amostras correlacionadas): Na Fase II, fêmeas do grupo uniparental e machos do grupo biparental revelaram menores médias de tempo despendido em contato físico com filhotes (p < 0,01 e p <0,05; respectivamente) e maiores médias de número de episódios (p < 0,01 e p< 0,05; respectivamente); as fêmeas do grupo biparental e uniparental apresentaram maiores médias de tempo (p < 0.05 e p <0,01; respectivamente) e número de episódios (p < 0,01; para ambos) de locomoção, assim como o pai (p < 0,05). As fêmeas do grupo biparental exibiram mais episódios da categoria arrumar ninho (p < 0,05). As fêmeas do grupo uniparental exibiram maiores médias de tempo e freqüência da categoria auto-limpeza (p < 0,01). Fêmeas e machos do grupo biparental exibiram mais episódios de contato físico entre eles (p < 0,01). O peso das mães e filhotes dos dois grupos não diferiu significantemente. Porém o número de filhotes nascidos é maior do que o de sobreviventes no grupo biparental (p < 0,01). Conclusão. Nossos resultados indicam que a relação mãe-filhote foi afetada pela presença de macho estranho. Os efeitos dependem da presença do pai e interferem na sobrevivência dos filhotes.
Numero de Controle local 210173
Número controle Bibliodata SC000791394
Assuntos Psicologia
Animais domesticos - - Filhotes
Competicao